Thursday, February 18, 2016

Hibiscus, meu amor!

.do nosso jardim comestível.



Eu amo ele, também. 

O Hibiscus é sei lá, tipo assim, um grande amigo das mulheres. 

Sempre gostei da sua cor, sua florzinha delicada  e seu sabor deliciosamente ácido. Ele é interessante pois tem um botãozinho cor rubi e quando a flor decide abrir é clarinha, uma graça.



Olha só que delicadeza, é ou não é uma flor super feminina?


Sem contar que no final do dia ela já fecha, tão efêmera.

Sou completamente viciada em seu chá e amo servir água aromatizada com ela.

O ano passado decidi que queria sentir esta planta mais de perto, perto mesmo, estão coloquei uma muda na minha sacada, acomodei ao lado do hortelã-da-china e ali ela ficou. Todos os dias antes de dormir e depois de acordar eu olhava para ela. Com o passar dos dias percebi que ela era forte e gostava de sol. Na verdade eu já desconfiava pois ela é muito comum em receitas de zonas tropicais. Mas bem, quando sentimos na prática o aprendizado é diferente. 



Acontece que faz uma semana comecei a perceber que ela (meu Hibiscus é mulher) não estava bem. Pois é, comecei a dar mais atenção e nada, nenhuma reação. Ontem pela manhã acordei certa de que era hora de plantar ela na terra, então encontrei um lugar agradável entre o pé de tangerina e as flores de cosmos, cavei um buraco e Voilá! Tomei um susto, quando tirei a planta do vaso mil formigas se movimentaram. Era isso que incomodava ela, claaaro, deixei as formigas correrem e logo a acomodei no buraco recém cavado.  Cobri com um pouco de grama cortada, coloquei uma estaca, amarrei e pronto, ela se sentiu em aventurança. Senti que era um dia especial para nós e resolvi fazer uma plaquinha. Lembrei de quando Hamaram fez uma mini Agrofloresta aqui e apelidamos de jardim comestível, nada a ver né? Fiz a plaquinha inspirada neste nosso projeto.


Pronto! No fim da tarde choveu e ela ficou feliz, espero profundamente que os cachorros não sintam ciúmes e a transformem em um ponto de território, o jeito é ficar na torcida.
E sei que errei gente, sabdariffa tem dois Fs.






O Hibiscus sabdariffa também é conhecido por muitos outros nomes como caruru azedo, vinagreira, rosela e acho que é prima do quiabo.

Flor de quiabo na horta, não é parecida com a nossa lindona? 



A nossa estrela rubi pode ser usada em várias receitas e a mais tradicional talvez seja na água de Jamaica, quando colocamos a florzinha na água e o resultado é um liquido delicioso e cheio de cor.


Quando fomos para Trancoso e cozinhamos em uma temporada lá na pousada da querida Thaís servimos um chá que intitulamos de Sensação pois era tão bom, basicamente uma infusão do hibiscus e menta fresca, mas vale ressaltar que a menta que a gente conseguia ali na região era meeeega refrescante.  

Te conto na sequência como preparar. Olha ele aí.



Chá Sensação

1 litro de água
1 colher rasa de sobremesa de pétalas  de hibiscus sabdariffa
1 ramo farto de menta fresca

1. Aqueça a água até atingir 80-90 graus e adicione as pétalas e a menta, tampe e deixe infusionar por aproximadamente 7 minutos.
2. Sirva.

No workshop da Kathy Petra e eu nos empolgamos e um dia fizemos o mingau feminino, que é basicamente um müsli com frutas vermelhas e hibiscus. Ficou muito bom e foi servido após a prática de yoga:




Antes de ontem também fiz uma receitinha que coloquei hibiscus, amo! Já deu para perceber né? Para quem não sabe estou escrevendo um livro com receitas de granola e vira mexe testo algumas, a última levou barberry e hibiscus,  ficou tão bom que já acabou. Durou três dias, hahaha. O projeto do livro já esta no Catarse, se você quiser apoiar e garantir um exemplar dá uma olhadinha aqui.  

Chamei ela de Granola Barbaridade:




Muito amor para todos!